14 de julho de 2010

Diario de Campanha: O Novo Senhor da Guerra - 3ª Sessão

“Em um lugar novo como este o que importa mesmo é se agarrar a seus objetivos e lutar sem temer o que possa vir pela frente.”

    Durante muito tempo esperei para encontrá-los. Mas a fama da comitiva não faz muito sentido quando se realmente tem contato com eles. Ainda mais que está desfalcada com a falta da maioria de seus membros. Agora já não sei mais se eles seriam capazes de me ajudar a encontrar a sagrada, nem ao menos sei se eles seriam realmente a grande comitiva de que tanto ouvi falar. Hoje estamos perdidos e mal sabemos qual o real objetivo, se seria sair desta ilha ou encontrar algo de valioso. Mas não parecem ser de todo mal... Gostei de todos que hoje fazem parte desta nova comitiva se assim posso chamar este grupo de viajantes.


    Enfim agora temos que nos concentrar em continuar vivos, apesar de que deixamos a única alma que poderia nos ajudar com as novidades desta ilha. Mas nunca se pode confiar em um pirata. Tolo foi ele que em vez de caminhar conosco preferiu seguir sozinho. Com certeza se estivesse junto da comitiva não passaria tantos apuros. E estes nativos? Parecem realmente ser perigosos, do jeito que havia medo nos olhos daquele homem. Espero que não cruzemos com estes tão cedo, ainda precisamos nos adaptar a esta ilha. E qual será este artefato que este homem nos falou. Deve realmente ser algo de valor. Enfim esta ainda não é minha maior preocupação. Agora o importante é fugir dos nativos que não parecem estar contentes em saber que tem visitas em sua ilha.

    Finalmente encontraram um caminho seguro, mas porem não tão seguro assim será que vamos todos conseguir passar por este túnel cheio de água? Nunca havia passado tanto tempo preocupada em manter os outros e a mim mesma viva, se perdermos ao menos um seria um desfalque gigantesco. E esta criatura que a pouco finalmente revelou sua face, não fala nada nem ao menos parece se preocupar conosco. Agora temos de abrir esta porta misteriosa, espero que logo consigam abri-la, pois não podemos voltar o único caminho é seguir em frente. Eu já não tenho a mínima idéia de como abrir a não ser pela força. Mas parece que ela só será aberta com alguma ou algumas palavras. Enfim tomara que alguém abra logo já não agüento mais tanta expectativa.

     Mas como um bêbado conseguiu abri-la? Até parece coisa dos desuses, que absurdo! É eu deveria não subestimar meus companheiros todos devem ter algum valor misterioso, assim como eu. E os deuses não iriam nos por aqui se não houvesse uma razão ou uma missão pra nós.
  
     Nossa, mas o que é isso?! Este lugar só pode ser amaldiçoado com tantas criaturas Malignas. Quase não conseguimos vencê-las, este deve ser um teste, sinto que a algo bem pior aqui dentro do que apenas esses demônios e aparições. E o cheiro de carne podre, deve haver uma criatura carnívora aqui, espero que consigamos permanecer vivos e unidos até sairmos daqui. Mesmo que uns de nós tenha uma sede tão grande por tesouros, isso pode acabar nos prejudicando de alguma forma ainda. Mas todos aqui estão se mostrando de grande valor. Cada um fazendo sua parte para que todos mantenham-se vivos. É a primeira vez em toda minha existência que realmente me sinto viva em uma aventura de verdade. E este garoto, tão jovem mas tão apressado. Sinto que tenho que prestar mais atenção nele ou ele pode acabar se machucando de alguma forma. É engraçado, mas eu poderia jurar que ele demonstra algum interesse por mim. Coisa de adolescente não devo dar bola a este tipo de coisa, afinal sou a única mulher do grupo, então isto se torna natural mesmo. Mas não posso deixar que isso me leve a outros rumos, tenho um objetivo e preciso fazer qualquer coisa pra alcança-lo. Talvez nesta ilha mesmo eu o consiga.

    Mas que criatura intrigante, não tentou nos atacar apenas quis conversar, agora sei de onde vêem os corpos podres, é esta criatura que se alimenta deles. Mas acho que não a agrada estarmos aqui, pelo menos por não estarmos mortos para ser o seu jantar. Infelizmente isto não é um bom sinal, mas do que adianta temer agora. Não podemos voltar o que resta é seguir em frente e descobrir o que nos espera. Mas que surpresa desagradável mais alguns criaturas para enfrentarmos, finalmente o bruxo entende a charada e nos livra de uma batalha que poderia ser mortal, mesmo assim temos de enfrentar dois esqueletos em chamar, o que não pareceu muito difícil e o bêbado mais sóbrio que eu já conheci pega o orb misterioso acima da pirâmide. O que será que nos aguarda agora?! O que será que vai acontecer daqui pra frente é mistério e cada vez me sinto mais empolgada. Sinto que a melhor coisa que já me aconteceu foi me juntar a estes. E logo conseguirei voltar pra ficar do lado de meu pai amado. Eu sinto que tudo está começando a dar certo. Agora é só seguir em frente e não temer a nada.

- Castiel, uma barda que procura voltar para sua casa.

Um comentário:

  1. John Viking/Troll14 de julho de 2010 15:36

    Caramba, muito bom!

    Adorei a leitura. Ficou bem bacana!

    "Como um bêbado conseguiu abrir o portão!?"

    Muito boa a sessão e o diário...

    Keep it up!

    ResponderExcluir